InovaçãoTecnologia

As novidades da construção civil 4.0

By 17 de agosto de 2020No Comments

Construção civil 4.0 é um termo que está em alta no mercado. Empresas querem se modernizar e algumas já estão investindo nisso.

No entanto, o caminho é longo para quem quer atuar de fato como uma indústria 4.0. Vale lembrar que até pouco tempo atrás, a construção civil era bastante analógica e tradicionalista em seus processos. 

O setor demorou a perceber a necessidade da inovação e também a começar a adotar práticas para inseri-la em seus contextos. Entre as consequências desse atraso, estão a deficiência em produtividade e a pouca eficiência e previsibilidade em processos, que leva a desperdícios de tempo e dinheiro na execução das obras. 

No entanto, para acompanhar o ritmo  do mercado, é fundamental buscar uma rápida adaptação às novas metodologias e tecnologias.

A tecnologia surge como um importante condutora da transformação da jornada construtiva para levá-la a uma construção 4.0. 

Aliadas a metodologias como a do Lean Construction, diversas soluções digitais inteligentes já estão disponíveis para que as construtoras ganhem maior eficiência e qualidade em suas atividades. 

Neste artigo, trazemos algumas das principais novidades da construção civil 4.0, bem como os desafios que as construtoras precisam enfrentar para se adequar a este novo contexto de mercado. 

Acompanhe! 

O primeiro passo: mudança de mindset e foco em pessoas e processos

Uma pesquisa realizada pela Deloitte revelou que apenas 25% das lideranças acreditam que seus times tenham competências necessárias para atuarem na indústria 4.0

Ao mesmo tempo, 17% das empresas não valorizam o capital humano como fator necessário para a implantação da indústria 4.0. 

Mas, como ter um time capacitado para atuar com inovação e tecnologia, se o fator humano não é uma prioridade para as empresas? 

Para Osvaldo Lahoz Maia, especialista em inovação e tecnologia do SENAI/SP, “o entendimento da indústria 4.0 é muito mais do que tecnologia. É um novo mindset, uma nova condição de interpretar o negócio tecnológico”. 

Portanto, fica claro que as organizações dependem de seus colaboradores para evoluírem nesse sentido.  

A consultora Márcia Codecco também falou sobre a importância das pessoas e de uma gestão integrada com o time neste processo de inovação. 

Para ela a construção civil sempre foi muito focada no resultado, sem perceber o caminho que é necessário trilhar para chegar a ele. “Há um processo de maturação necessário, que passa pelas pessoas, e são elas que vão levar a implementação de projetos sustentáveis e perenes”, explicou.

Assista a entrevista completa com Márcia Codecco no Talk Visionário #2 da Prevision.

O especialista do SENAI/SP também defende que o Brasil precisa competir de igual para igual com outros mercados, sendo protagonista das tendências e não apenas um seguidor. “É preciso olhar para outros mercados, mas conseguir aplicar a tecnologia para a realidade do nosso país. Assim, vamos conseguir criar nossas próprias tendências”.

Os caminhos para inovar e chegar a Construção civil 4.0 

Transformação digital

Digitalização. Segundo Roberto de Souza, da CTE e Enredes, este é um importante pilar da inovação para a construção civil 4.0.

Em um bate-papo para o Talk Visionário #1 da Prevision, Roberto destacou que, em termos de digitalização, já há um avanço significativo do BIM, uma das tecnologias que mais avançaram nos últimos anos. 

Além do BIM, também já há um desenvolvimento considerável dos aplicativos e softwares SaaS, como a Prevision, e ainda um início da adoção de Big Data Analytics e IoT. 

Assista a entrevista completa com Roberto de Souza no Talk Visionário #1 da Prevision.

Sistemas Pré-Moldados e Construção Modular

A velocidade com que alguns hospitais foram construídos em diferentes partes do mundo mostrou como a construção modular é um recurso importante para reduzir desperdícios e dar agilidade ao setor. 

A construção modular é um modelo que pode ser usando na construção de diferentes projetos, e um dos principais benefícios é o ganho de velocidade. 

Para empreendimentos comerciais e de serviço (exemplo: lojas, supermercados, hotéis, hospitais, obras feitas para renda) isso se torna uma vantagem enorme, já que nestes casos o prazo de entrega é de grande importância: quanto antes a obra é entregue, antes começa a gerar renda/faturamento.

Em relação aos tipos de sistemas construtivos, as paredes de concreto, também usadas em construções modulares, já são largamente adotadas em diferentes obras no Brasil, especialmente as populares. 

Mas já há um crescimento do wood frame, a consolidação da estrutura metálica em projetos corporativos e um início da madeira engenheirada e do steel frame.

Big Data Analytics

Um relatório apresentado pela PwC Global orienta sobre a necessidade cada vez maior do uso de dados em todos os setores da indústria. A falta de clareza com relação ao mercado, exigirá mais cautela em decisões financeiras, impactando, inclusive, na implementação de novas soluções. 

Ao conseguir reunir e analisar dados detalhados sobre cada projeto, desde as questões administrativas, financeiras, arquitetônicas e de engenharia até disposições contratuais – as construtoras poderão entender os cenários e definir rumos de atuação com maior propriedade.

Integração das etapas

Gestão e planejamento de projetos integrado é outra importante diretriz da construção civil 4.0 . Sabemos que cada etapa da obra costuma envolver muitas equipes e gerar muitos dados, e nem sempre é fácil ter previsibilidade e controle sobre todo o processo.

Mas, com o apoio da tecnologia e integração de softwares de gestão e planejamento, como o BIM, os ERPs, a Previson, torna-se simples centralizar, integrar, utilizar e acessar sempre que necessário as informações, criando gráficos e dashboards para facilitar o controle de todo o empreendimento.

Esta integração facilita toda a questão da análise de dados para análises preditivas de Big Data Analytics que falamos acima.

Tecnologia de colaboração

Outro aspecto importante da construção civil 4.0 é a conexão de equipes. Neste ponto, a tecnologia de colaboração traz ferramentas que permitem o acesso em diferentes dispositivos. Com eles, os profissionais conseguem trabalhar juntos, mesmo estando em locais diferentes. 

Uma pesquisa realizada pela Procore, com empresas dos Estados Unidos e Canadá, mostra que 90% dos entrevistados continuarão trabalhando em regime home office nos próximos meses. 

Por esse motivo, 75% acreditam que tecnologias de colaboração serão mais utilizadas.  Esses dados mostram que o trabalho colaborativo, entre profissionais do canteiro de obras e do escritório também será possível com o uso da tecnologia. 

Vale destacar que uma importante facilitadora das tecnologias de colaboração é a computação em nuvem, que fornece serviços e soluções como servidores, armazenamento, bancos de dados, rede, software, análise e inteligência, tudo pela Internet.

Drones

Ainda parece cena de filme, mas o drones já estão por toda a parte, desempenhando inúmeras funções: delivery, coleta de imagens, transporte de medicamentos e até órgãos.   

E como é bem provável que pelos próximos meses o distanciamento continue sendo uma prática necessária, o equipamento tende a ganhar ainda mais espaço. Na construção, por exemplo, pode ser usado para evitar a interação pessoal nas etapas de medição e inspeção da obra. 

Por meio desse recurso, a construtora também pode aumentar a segurança dos colaboradores, evitando que acessem áreas que ofereçam risco de acidente ou possibilitando a visualização de ângulos inacessíveis.  

Essa abordagem colaborativa permite que os dados do projeto sejam acessados por todos da equipe. 

Conclusão

Como vimos, a inovação para a construção civil 4.0 não precisa ser uma disrupção total em tecnologia.

Para chegar até ela, a recomendação é simples: primeiro mude a cabeça, mude processos internos e da obra, olhe para fora e vá ao encontro disso para implementar no seu dia a dia. 

E mais do que isso, é importante transmitir isso para os colaboradores da empresa, criando uma cultura de inovação e mudança e melhoria constantes.

A partir daí, pode-se buscar ferramentas e tecnologias que potencializem os resultados.

Leave a Reply